Mulheres empreendedoras

À procura de trabalho impulsionada por necessidades econômicas somou-se a busca pela independência financeira e autonomia. Apesar de muitas vezes ser uma forma de driblar o desemprego ou a intermitência do trabalho, aqui se insere o empreendedorismo, por se tratar de trabalho independente em que as mulheres, a despeito dos ciclos econômicos diferenciados pelo qual o país passou na atual década, mantiveram um patamar de participação mais estável do que o dos homens.

As empreendedoras são as mulheres ocupadas como profissionais liberais autônomas, empregadoras, donas de negócio familiar, autônomas que trabalham para o público em geral e autônomas que trabalham para mais de uma empresa, em situações que as distanciam do assalariamento (com e sem carteira assinada) e também  daquelas situações onde há relação de subordinação.

Acesse aqui o estudo na íntegra.